Fatores de Risco

Antes de tomar uma decisão de investimento, os potenciais investidores devem considerar cuidadosamente todas as informações disponíveis neste website, em especial os riscos mencionados abaixo. Os negócios, situação financeira e resultados de operações da Viver podem ser adversa e materialmente afetados por quaisquer desses riscos. Riscos adicionais que não são atualmente do conhecimento da Companhia, ou que ela julgue, nesse momento, ser de pequena relevância, também podem vir a afetar os seus negócios e, consequentemente, sua situação financeira.

1) Riscos Relativos à Companhia e ao Setor Imobiliário

  • A Viver está exposta a riscos associados à compra de terrenos, incorporação imobiliária, construção, financiamento e venda de imóveis.
  • Eventuais problemas de atrasos e falhas nos empreendimentos da Companhia podem ter um efeito adverso em sua imagem, seus negócios e sujeitá-la a imposição de responsabilidade civil.
  • A escassez de recursos para obtenção de financiamento e/ou um aumento das taxas de juros podem prejudicar a capacidade ou disposição de compradores de imóveis em potencial para financiar suas aquisições.
  • A Viver está sujeita a riscos normalmente associados à concessão de crédito.
  • O crescimento futuro da Companhia poderá exigir capital adicional que poderá não estar disponível ou, caso disponível, poderá não ter condições satisfatórias.
  • O setor imobiliário no Brasil é altamente competitivo e a Viver pode perder sua posição no mercado em certas circunstâncias.
  • A perda de membros da administração da Companhia, ou a incapacidade de atrair e manter pessoal adicional para integrá-la, pode ter um efeito adverso relevante sobre sua situação financeira e resultados operacionais.
  • Os interesses dos acionistas controladores da Viver podem divergir dos interesses de seus futuros investidores.
  • As atividades da Companhia estão sujeitas a extensa regulamentação, o que pode vir a aumentar seus custos e limitar o seu desenvolvimento ou de outra forma afetar adversamente as suas atividades.
  • A incorporação imobiliária está sujeita a extensa regulamentação ambiental. Caso a Viver não seja capaz de cumprir com a regulamentação, sua situação financeira e os seus resultados operacionais podem ser prejudicados de maneira relevante.
  • A Companhia pode não ser bem sucedida em implementar sua estratégia de crescimento e, ainda, em gerenciar seu crescimento.
  • A utilização de mão-de-obra terceirizada pode implicar na assunção de obrigações de natureza trabalhista e previdenciária.
  • Elevações no preço de insumos podem aumentar o custo de empreendimentos e reduzir a rentabilidade da Companhia.

2) Riscos Relativos a Fatores Macroeconômicos

  • O Governo Federal exerceu e continua a exercer influência significativa sobre a economia brasileira. Essa influência, bem como a conjuntura econômica e política brasileira, poderia causar um efeito adverso relevante na Companhia e no preço de mercado das ações de sua emissão.
  • A inflação e os esforços do Governo Federal de combate à inflação poderão contribuir significativamente para a incerteza econômica no Brasil, podendo prejudicar as atividades da Viver e o valor de mercado das suas ações.
  • A instabilidade cambial pode prejudicar as atividades da Companhia, a sua situação financeira e os seus resultados operacionais, bem como o preço de mercado das suas ações.
  • Acontecimentos e a percepção de riscos em outros países, sobretudo em países de economia emergente e nos EUA, podem ter um impacto negativo sobre a economia brasileira e como resultado prejudicar o preço de mercado dos valores mobiliários brasileiros, inclusive das ações da Viver.
  • Alterações em políticas fiscais brasileiras poderão prejudicar a Companhia.